Seminário Cinema Queer

Neste segundo semestre, em conjunto com meus orientandos de mestrado Ricardo Duarte e Luiz Fernando Ulian, estamos preparando um seminário sobre o cinema queer (segue a proposta abaixo). Nossa ênfase será em filmes relevantes que possam ganhar um outro sentido a partir de uma perspectiva queer, em geral,  associados a formas de dissidência sexual traduzidas por identidades de gênero e orientações sexuais. O seminário é uma introdução que implica tanto o gosto por arte, pelo cinema quanto pela leitura de textos de autores na área de critica cultural e de arte. Sendo apenas 15 encontros está sendo um grande desafio a seleção dos filmes a serem exibidos bem como dos textos que serão, em grande parte, em inglês. Pessoalmente, acredito que esta abordagem ajuda a compreender um parte relevante da produção audiovisual brasileira realizada entre 2009 e 2016, após o chamado Cinema da Retomada  Para informações atualizadas favor consultar https://www.facebook.com/events/1499988353391806/. Oficialmente o seminário é uma disciplina optativa para qualquer aluno de graduação da UFRJ mas havendo disponibilidade aceitaremos, com prazer, ouvintes. O cronograma com as leituras e filmografia obrigatórias bem as formas de avaliação serão apresentados, no primeiro dia do seminário, e depois, disponibilizadas no grupo no Facebook.  Sugestões, críticas, comentários são mais do que bem-vindos bem como se sintam à vontade para encaminhar a proposta a quem possa interessar.

 

Abraços e obrigado,

Denilson Lopes

 

 

Universidade Federal do Rio de Janeiro
Código para matrícula(graduação): Comunicação, Espetáculo e Cultura IV (ECS5221)
Curso:Seminário Nascido em Chamas:Cinema Queer e Afetos sem Fronteiras
Horário: quarta-feira – 13/16:30 – Começa no dia 2 de agosto (a confirmar)

Ementa
Qual seria a contribuição da teoria queer para a compreensão de filmes marcados pelas experiências e narrativas LGBTTQIA+? A teoria queer emerge, nos anos 90, buscando novos modos de vida não marcados pela integração na sociedade, portanto, nem hetero nem homonormativos. Na mesma época, surge, no contexto norte-americano, o New Queer Cinema, buscando se contrapor às formas convencionais com que as questões LGBTs eram integradas no cinema hollywoodiano. Como pensar então antes, um cinema queer? Seria ele mais marcado por personagens marcados por uma dissidência sexual do que pela busca de outras formas de narrativa? Nossa proposta é estudar o cinema contemporâneo mas estabelecendo comparações e diálogos com filmes ancorado no cinema moderno. Trata-se de um seminário de pesquisa centrado no visionamento de filmes quanto na leitura de textos críticos e teóricos,, associados a estudos de cinema e do audiovisual. No caso do cinema moderno, destacamos filmes de Visconti, Pasolini, Chantal Akerman, Jack Smith, Nagisa Oshima, Kenneth Anger e Andy Warhol, entre outros. No caso do cinema contemporâneo, destacamos os filmes de Todd Haynes, Claire Denis, Apichatpong Weerasethakul, Tsai Ming Liang, Cheryl Dunyie, Wong Kar Wai, Karim Aïnouz. Gus van Sant, Marlon Riggs, Isaac Julien, Derek Jarman, entre outros
ATENÇÃO: PELO FATO DA POUCA BIBLIOGRAFIA TEÓRICA SOBRE OS ESTUDOS QUEER NA ÁREA DE CINEMA, É, DE FUNDAMENTAL IMPORTÂNCIA A CAPACIDADE DE LEITURA EM INGLÊS PELOS PARTICIPANTES

Ouvintes serão aceitos casa haja disponibilidade de vagas.

Publicado por em 17 de julho de 2017.