Neoconcretismo e Minimalismo: Estudos Comparativos

História e Crítica da Arte

Integrantes relacionados:
Patricia Leal Azevedo Corrêa

A pesquisa tem como base a análise da produção artística, teórica e crítica ligada à gênese e ao desenvolvimento do neoconcretismo no Brasil e do minimalismo nos Estados Unidos, bem como da produção historiográfica que procura articulá-los a contextos próprios ou ampliados. Como em toda proposta comparativista, admitem-se analogias, semelhanças e diferenças entre os objetos estudados. Algumas dessas semelhanças são evidentes, como o período das duas produções, entre o final da década de 1950 e a década seguinte; o emprego de vocabulário geométrico; o envolvimento, por vias práticas e teóricas, com a dissolução de fronteiras entre pintura, escultura, objeto e ambiente; a ênfase nas relações entre corpo, tempo e experiência na arte. Mas suas diferenças são igualmente marcantes, como, por exemplo, os distintos contextos artísticos e culturais e suas relações entre tradições locais e matrizes europeias; distintos diálogos e aportes teórico-filosóficos que impõem a relativização das semelhanças antes indicadas.